<$BlogRSDURL$>

sexta-feira, janeiro 28, 2005

Apenas mais uma informacao inutil, como todas aqui provam ser. A minha agenda cultural inclui este fim de semana:

- hoje uma festa em casa com gente de várias nacionalidades, com muito alcool e incluindo pessoas que nao conheco nem nunca vi;
- sábado um longo passeio noturno por museus de Berlin, por uns míseros 8 euros. A Noite Longa dos Museus acontece duas vezes por ano e desta vez vou lá estar!

Manda para dentro da mala.
Meus amigos,
está a nevar nesta terra! E o pior é que nao parece haver um fim à vista... Eu sei bem que voces aí sofrem com um tempo seco e frio e que se calhar há muita gente a desejar chuva. Mas olhem para mim, aqui: -5 graus a toda a hora, ruas que sao autenticas armadilhas para o mais distraído traseunte e uma vontade de Verao que nao cabe na cabeca de ninguem. Viva a neve! Abaixo a neve! A neve é bonita mas a neve é má (sim, este tempo branco já me subiu à cabeca...).



(Neve de noite)



(Neve de dia)

Manda para dentro da mala.

quarta-feira, janeiro 26, 2005

introdução 

não sei bem como explicar isto. tudo começou no eléctrico, hoje à tarde, a caminho de casa. olhei para baixo, pelo espaço que fica entre a cara e os óculos, e vi um fio de baba a escorrer do canto esquerdo da boca. e isso deu-me uma ideia. Essa ideia encadeou-se com outra e foi dar origem e uma cadeia de ideias.
a primeira ideia que tive, assim que vi o fio de baba, foi limpar a boca. e, claro está, limpei. daí para a frente as coisas nunca mais foram as mesmas. ainda hoje me pergunto se a minha vida seria igual se não me tivesse babado ali.
o fio de baba era tão grande que caiu: metade ficou no casaco e o resto foi sujar a mala, aquela onde guardo as sensações. por sorte, ao lado das sensações também guardo os lenços de papel.
e lembrei-me, quando vi a mala babada... a mala das sensações precisava de ser limpa!
daí ao encadeamento das outras ideias foi um passo. em três tempos, apoderou-se de mim uma força transcendental que me fez ficar azul. bufei-me, limpei a baba e construí o projecto mais ambicioso que alguma vez me propus fazer: uma exposição sobre o estado da mala que tinha sensações lá dentro.
primeiro, parto do principio de que a mala está morta. é notória a decadência a que a mala começa a estar sujeita. nunca, em não sei quanto tempo de vida desta mala, pude ver tanta desgraça à volta do estado de conservação da dita cuja.
segundo, faço isto para responder ao amigo cosmonauta, que reparou, e bem, que isto aqui faz eco e sugeriu a entrada de mais nerds para completar o rol de palhaços que constituem o elenco da mala.
e é por isso que me dou ao trabalho de fazer a descrição detalhada, fruto de árduo trabalho de gabinete durante muitos meses – o conceito de tempo não interessa. porque a nossa mala é intemporal, pode até levar 100 anos para que se recomponha –, do estado da nossa mala.
e porque já me estou a alongar demais, coisa que nem queria fazer porque eu próprio perco a paciência para ler aquilo que escrevo, quanto mais os outros, resta dizer-vos que o meu estudo sobre a situação da mala investiga as causas, as consequências e as soluções para voltar a fazer da mala aquilo que ela era. altruista, a minha atitude. outra explicação passa pelo facto de não ter mais nada para fazer neste momento.
e para não vos maçar muito, dividi o estudo em capítulos, que vou publicando quando me apetecer – mais uma vez o conceito temporal fica posto de parte.
e como já me estou a babar outra vez, vou-me calar por aqui.

26 de janeiro de 2005

Manda para dentro da mala.

quinta-feira, janeiro 20, 2005

Meireles Power 





Manda para dentro da mala.

terça-feira, janeiro 18, 2005

A redenção 

Aquela foto nada significa, aquilo sou eu no não eu.
A verdade é que todos temos os nossos momentos, bons e maus, e escusado será dizer que não há um único nerd neste blog a quem não lhe tenha acontecido uma marotice dessas. enfim, não vos devo satisfações, mas são meus amigos, estavam lá quando eu soçobrei; a ajudaram-me no que foi preciso.
E eu estarei lá quando o mesmo vos acontecer.
É de amigo.

Manda para dentro da mala.

Pois é, pois é! 

Isto aqui faz eco! (o contador mostra o contrário, contrariedades)
E que tal novos nerds? Agora que já há net em mais lares por esse Portugal fora ou até mesmo em Évora.
Fica a dica e o alerta.

Manda para dentro da mala.

quarta-feira, janeiro 12, 2005

Pois é, pois é! 

Mais uma vez fico sem palavras!


Manda para dentro da mala.

domingo, janeiro 02, 2005

Rebolar nas Barrocas 

Não é preciso dizer mais nada!


Manda para dentro da mala.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?